Caim e Abel

Um era agricultor e o outro era pastor de ovelhas. Um trouxe uma oferta, o outro separou a melhor oferta. Um tinha o coração no lugar errado, o outro tinha a melhor intenção. Um se enfureceu, o outro acabou sofrendo as consequências. Um era Caim, o outro era Abel. A história desses dois irmãos que se encontra no começo da Bíblia é mais que conhecida e repleta de ensinamentos.

Caim ofertou, Abel ofertou. O Senhor só aceitou a oferta de Abel. Caim enfurecido matou seu irmão. Muitos vão dizer que Deus foi malvado já que Caim também tinha ofertado, mas a questão aqui não é a oferta, mas sim o coração ofertado. Não é o produto, mas a intenção. Caim ofereceu o que tinha, Abel ofereceu o melhor. Caim pegou, Abel separou. Deus é qualitativo e não quantitativo quanto se trata do nosso coração. Muitas atitudes que parecem grandiosas aos olhos humanos, não passam de atitudes vazias para Deus.

Deus é justo, fiel e bom. Ele não vê a aparência, ou somente o ato. Ele conhece o coração, sonda os pensamentos. Caim achava que estava fazendo algo que era digno de honra, mas Deus não aceitou e ainda o corrigiu. Quantas vezes na nossa vida não fazemos isso? “Mas Senhor, eu estou orando todos os dias e vou na igreja todo domingo”… Sem coração, isso não é o suficiente. A oferta pode estar lá, mas a gratidão e o amor não. Precisamos parar de negociar com Deus. Para o agradar não precisamos ser grandiosos, mas precisamos dar o nosso melhor. Abel deu a primeira cria, ele deu prioridade. Abel deu a parte gorda, ele deu o melhor. Então, Deus aceitou, amou, recebeu.

Enquanto o mundo cria rituais e patamares impossíveis para agradar a Deus, Ele pede aquilo que já temos: o nosso coração. Ele não merece nada menos que isso: nossa prioridade. Quando Deus não aceita aquilo que oferecemos, Ele nos ensina: “Se você fizer o bem, não será aceito?”(Gn 4:6). Não transtorne o seu coração, não fique furioso, mas aprenda e repita até acertar. Caim como uma criança mimada desistiu, se enfureceu e resolveu fazer a justiça que achava correta. Quando Deus não se agradar da nossa oferta, que sejamos sábios para ouvir e aprender.

Em um mundo repleto de Cains, muitos passam a vida inteira tentando agradar a Deus, frustrados com os resultados de suas ações e movidos por hipocrisia e inveja. Nos esquecemos que Deus nunca pediu o impossível ou nunca nos obrigou a fazer nada. Temos o poder da escolha. Que os raros Abeis escondidos atrás das cortinas dessa geração malvada aprendam a continuar dando o melhor para Deus, amando-o com sinceridade e trazendo ofertas que possam agradá-lo. O mundo pode até ser mal com eles, mas Deus os aceita por causa dos seus corações, e não existe oferta mais preciosa que essa. 


Cain and Abel

One was a farmer and the other a shepherd. One brought an offering, the other separated the best offering. One had his heart in the wrong place, the other had the best intention. One became enraged, the other ended up suffering the consequences. One was Cain, the other one was Abel. The story of these two brothers at the beginning of the Bible is more than well-known and full of teachings.

Cain offered, Abel offered. The Lord only accepted Abel’s offering. Enraged, Cain killed his brother. Many will say that God was evil since Cain had also offered, but the issue here is not the offering iself, but the heart that was offered. It is not the product, but the intention. Cain offered what he had, Abel offered the best. Cain took, but Abel separated it. God is qualitative and not quantitative when it comes to our heart. Many attitudes that seem grandiose to human eyes are nothing but shallow acts to God.

God is just, faithful and kind. He doesn’t only see the appearance or the action. He knows the heart and probes the thoughts. Cain thought he was doing something worthy of honor, but God not only didn’t accept it, He also corrected it. How many times in our life don’t we do the same? “But Lord, I’m praying every day, and I go to church every Sunday” … Without heart, that’s not enough. The offering may be there, but gratitude and love are not. We need to stop negotiating with God. To please him we don’t have to be great, but we must do our best. Abel gave the firstborn, he gave priority. Abel gave the fat part, he gave the best. Then, God accepted, loved and received.

As the world creates rituals and impossible levels to please God, He asks for what we already have: our heart. He deserves nothing less than this: our priority. When God doesn’t accept what we offer, He teaches us, “If you do good, will it not be accepted?” (Gn 4:6). Do not upset your heart, do not be angry, but learn and repeat until you get it right. Cain, like a spoiled child, gave up, became furious, and decided to do justice as he felt was right. When God is not pleased with our offering, let us be wise to hear and learn.

In a world filled with Cains, many spend their entire lives trying to please God, frustrated with the results of their actions and driven by hypocrisy and envy. We have forgotten that God never asked for the impossible or never forced us to do anything. We have the power of choice. May the rare “Abels” hidden behind the curtains of this evil generation learn to continue giving the best to God, loving Him with sincerity and bringing offerings that may please Him. The world might even be evil with them, but God accepts them because of their hearts, and there is no more precious offering than this.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: