MARANATA

Meu amado,

Estava lendo sobre quantas maravilhas você fez aqui. Obrigada por ter vindo, não acredito que deixou tudo para vir aqui. Não valíamos a pena. Mas obrigada.

Você fez de pescadores pregadores e de pecadores seguidores. Você ensinou, curou e transformou. Você nos ensinou a amar e nos chamou para perto.

Consigo imaginar o seu sorriso quando chamou Levi, seu olhar para aquela mulher que derramou perfume aos seus pés, as suas lágrimas com lázaro e a sua alegria em ceiar com os seus companheiros.

Quanta saudade você deve ter sentido de João Batista e quanta indignação deve ter sentido ao ver tanto comércio no Templo. Deve ter sido difícil ensinar para a gente, deve ter sido complicado aturar tanta maldade dos fariseus e até mesmo ver seus próprios discípulos não acreditando que seria possível.

Deve ter sido difícil ver tanta maldade, tanta dor e ingratidão. Não consigo nem imaginar a dor em ouvir “é réu de morte” do seu próprio povo. Obrigada por não ter desistido de nós mesmo assim.

Eu sei que nunca conseguirei ser eternamente grata por aquela cruz. Então, lhe entrego a minha vida como o Senhor entregou a sua. Não chega perto do seu sacrifício, afinal, eu sou cheia de defeitos e muitas vezes fico com medo igual a Pedro, não consigo andar sobre as águas, mas até de mim o Senhor se lembrou.

Ali estava você: no meio de dois ladrões, com pregos nos pulsos e pés, entregando-se por nós. Foi consumado. O véu foi rasgado.

Mais uma vez: obrigada. Obrigada por ter nos mostrado que aquilo não foi o fim, mas sim o começo. O começo da nossa esperança. Você ressuscitou. E transformou as nossas vidas para sempre.

Obrigada por ter ressuscitado, voltado aos céus e nos ter dado o ajudador. Obrigada por nos amar tanto ao ponto de ainda estar intercedendo por nós, aqueles que o decepcionam todos os dias. Obrigada por ter colocado a eternidade nos nossos corações.

Sinto saudade suas todos os dias, saudade de alguém que nunca vi, mas conheço. Saudade do herói, do carpinteiro, do mestre, do amigo e do Salvador. Saudade que não cabe mais dentro de mim. Estou sempre lhe esperando.

Maranata!

Um comentário sobre “

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s