GRATIDÃO

(Lucas 17.11-19)

Eles estavam doentes e separados da sociedade. Eram considerados sujos, não podiam mais ficar com suas famílias, com os amigos e nem com os religiosos. Ser leproso era dolorido em todos os sentidos.

Provavelmente eles já tinham ouvido falar sobre Jesus, sobre suas curas e milagres. Essa era a chance. Mesmo de longe eles pediram, clamaram e gritaram por misericórdia. Era a única esperança, o único jeito, eles precisavam voltar para as suas famílias, eles queriam suas vidas de volta.

Na dificuldade e no desespero não guardamos nosso fôlego e muito menos desperdiçamos uma oportunidade. Oramos todos os dias, lutamos e buscamos uma solução.

Jesus deu a ordem para eles irem e enquanto eles estavam indo e obedecendo, eles eram curados. O milagre que eles tanto pediram, aquilo que mudaria suas vidas aconteceu e o que eles fizeram? Foram abraçar suas famílias, mostrar para todos que estavam limpos, andar perto das multidões, sentir a alegria e aproveitar o milagre. Mas um deles não foi fazer isso. Um dos dez resolveu procurar por Jesus. Um dos curados resolveu voltar para aquele que tinha operado a cura. Um deles estava verdadeiramente grato.

A gratidão é difícil de ser encontrada, normalmente gritamos ao pedir e nos silenciamos para agradecer. No nosso dia a dia as reclamações ocupam mais espaço. Ao invés de agradecermos a cama, reclamamos do nosso sono. Ao invés de agradecer por termos oportunidades, reclamamos do trabalho. Ao invés de agradecer por termos saúde, reclamamos da falta de dinheiro.

Ter um coração grato é mudar a perspectiva sobre a vida. Aquilo que antes parecia mais importante, passa a ser algo pequeno comparado a tudo o que já recebemos. O mundo e seu status, para aquele leproso, era menos importante do que a sua cura.

Antes de começar a reclamar ou a contar para todos o que aconteceu, volte e agradeça a Deus. Passe o mesmo tempo que você passou pedindo, agradecendo. Agradeça a Deus pela sua vida e pela salvação. Agradeça as pessoas que já fizeram algo por você, que cuidaram de você ou que fizeram você amadurecer. Um “obrigado” pode significar mais do que imaginamos. Antes de olhar para o futuro cheio de preocupação, treine olhar para o presente cheio de gratidão.

Ser grato é um exercício, é uma escolha, um treinamento. Não pense que é natural ou fácil, é preciso aprender e decidir. O ex-leproso resolveu voltar. Não foi porque ele não tinha coisas para fazer ou pessoas para contar. Ele tinha toda uma vida nova para viver, mas ele resolveu parar e agradecer.

Que possamos aprender com ele e entender que agradecer é importante e essencial para as nossas vidas. Vamos nos lembrar de parar no meio de toda essa agitação da vida, voltar correndo para Deus e o abraçar dizendo “obrigado”

“Deem graças ao Senhor, porque ele é bom. O seu amor dura para sempre!”  Salmos 136.1


GRATITUDE

(Luke 17.11-19)

They were sick and kept apart from society. They were considered filthy and couldn’t stay with their families, friends or the religious people. Being a leper hurt in every way.

They probably had already heard about Jesus, His healing and miracles. That was the chance. Even from afar they begged, cried out and screamed for mercy. It was their only hope, the only way, they needed to go back to their families – they wanted their lives back.

During hardships and despair we don’t hold back our breath, let alone waste an opportunity. We pray every day, we fight and look for a solution.

Jesus gave them the order to go, and while they were leaving and obeying they were healed. The miracle they begged for, the thing that they wanted most in life happened, and what did they do? Hugged their families, showed everyone that they were clean, walked among the crowds, felt the joy and enjoyed the miracles. But one of them didn’t. One of the then decided to look for Jesus. One of the healed went back to the healer. One of them was being truly grateful.

Gratitude is hard to find, we usually scream when we ask for things and silence ourselves when is time to give thanks. On our day-by-day we give more space to complaint. Instead of thanking for the bed we complain about our sleep. Instead of thanking for the opportunities, we complain about our job. Instead of giving thanks for our health, we complain about the lack of money. Having a grateful heart is about changing the perspective we have of life. What seemed so important before is now something small compared to all we have received. The world and its status, for that leper, was less important than his healing.

Before you start complaining or telling everyone what happened, go back and thank God. Spend the same amount of time thanking, as you did asking. Thank God for your life and salvation. Thank people who have done something for you, who took care of you or that helped you grow. A “thank you” can mean more than we imagine. Before looking at the future full of worries, train yourself to look at the present full of gratitude.

Being grateful is an exercise, it’s a choice, a training. Don’t think it’s natural or easy, you need to learn and decide. The ex-leper decided to go back. It wasn’t because he didn’t have anything to do or people to tell. He had a whole new life to live, but he decided to stop and give thanks.

May we learn with him and understand that thanking is important and essential to our lives. Let’s remind ourselves to stop in the middle of all the agitation in our lives, go back to God and hug Him saying “thank you”.

“Give thanks to the Lord, for he is good. His love endures forever.” Psalm 136.1

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s